quarta-feira, 30 de junho de 2010

Semáforo

Como não te amar,se você fez com que eu voltasse a me amar novamente,meu "Guerreiro"

Não se preocupe em me dar mais do que já me deu,é o bastante pra que eu termine os meus dias envolvida na melhor sensação que a vida poderia ter me proporcionado.

A sensação de vida plena,de coração batendo no rítmo,de poder sentir novamente o meu sangue correndo pelas veias.

A sensação boa de sentir o calor do sol no meu corpo.De poder pisar descalça na terra e conseguir sentir a sua temperatura sob os meus pés.

De poder olhar o céu,e voltar a ver nele a beleza perdida...mesmo entre as núvens escuras.

A sensação maravilhosa de voltar a sentir o ar entrando nos meus pulmões...me devolvendo a vida.

O que eu recebi de ti,é tanto,que tem momentos que eu me sinto sufocada...é como se algo, maior que eu,tenha se agregado à mim.

Não posso te pedir mais nada,você já me deu demais.


sábado, 26 de junho de 2010

Eu também quero

Minha amiga Vilma está saindo de férias...e só pra me deixar com água na boca, anota na sua página,todos seus planos para o período...e sai sorrateiramente,deixando essa música...

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Alguém Ouviu,Alguém me viu...

Sabe quando a gente não espera muita coisa mais na vida?
Não que a gente não mereça.Mas faz tanto tempo que não acontece uma coisa bonita no meu dia a dia...é só porrada!!!!

Aí,lá de longe,uma pessoinha,entra aqui,na minha casinha cibernética,lê um dos meus modestos textos,traduz para o seu idioma e publica no seu blog.
el templo de la casa amarilla
Minha auto estima foi nas alturas, e eu me senti a própria Barbra Streisand cantando:

sábado, 19 de junho de 2010

Viagem de Sonhos

Quando eu tinha uns 6 anos,minha mãe e eu fomos visitar minha avó Angélica.Foi uma viagem inesquecível...fomos de trem,Maria Fumaça,de União da Vitória-PR até Joinville-SC.

Viajar num trem movido à vapor,uma Maria Fumaça,era uma aventura e tanto,principalmente
para uma criança curiosa como eu era...a janelinha do trem tinha que ficar aberta,pois eu queria olhar tudo,tudo mesmo...o trilho,a fumaça,as casinhas,que aos poucos iam sumindo,ficando pra trás,os pastos verdes com carneiros,vacas,cavalos...e as paradas do trem para reabastecer a água.

Não adiantava a minha mãe avisar sobre as fagulhas da queima da madeira na Maria Fumaça.Eram fagulhas praticamente invisíveis,mas queimavam,faziam furinhos no meu vestido,e me deixavam com os olhos vermelhos,inchados.

Ao final da viagem,eu mais parecia uma andarilha:sujinha,descabelada...mas, tão feliz.

Lembro que a minha mãe me arrumava antes da partida:vestido novo de organdi amarelinho,saiote com armação para que o rodado da saia ficasse parecendo um bolo de festa,meia branquinha com sapato de verniz preto,laço de cetim branco nos cabelos.

Tanta dedicação,tanto investimento,pra que eu chegasse parecendo uma bonequinha na casa da minha avó...tudo em vão.Acho que desapontei minha mãe,seus sonhos...mas,só descobri isso bem mais tarde ( quando tive a minha filha),mas isso fica pra outra história,noutro dia.

A linha de trem dessa história,foi desativada há muitos anos.Eu sempre pensei em refazer o caminho juntamente com meus filhos,ou mesmo sozinha,mas não foi possível.

Hoje,pesquisando alguma coisa sobre aquela cidade,encontrei este vídeo,e fiquei feliz em descobrir que a velha Maria Fumaça foi reativada,e agora faz pequenos passeios...e a estação ainda é a mesma,está do mesmo jeito:

um lugar onde as minhas mais gratas aventuras,começavam.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

O que é bom a gente divide.

Preparei ontem,e acho que vou repetir a receita no domingo.Para acompanhar,tomamos um cabernet.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Procurando um namorado

...l2 de junho,dia comercial do namoro.Mesmo assim há no ar um encantamento,um misto de ansiedade e procura.

Ansiedade,pra quem já tem a sua cara metade por perto

Procura,pra quem anda catando papel na ventania.

Se a felicidade é feita de momentos,essa é uma das datas que ela aparece pra muita gente,na forma de um jantar romântico,um presente chique,uma flôr,ou apenas um abraço,um beijo,um olhar.

No meu caso,devo confessar que já vivi momentos de verdadeiro encantamento na tal data.
Com o passar dos anos,os valores e olhares vão mudando e aprendi que posso fazer um calendário móvel para o dia dos namorados.

Ultimamente,tenho dias de sobra no meu calendário amoroso,idéias de sobra sobre o que fazer com eles,só me falta o namorado.


quarta-feira, 9 de junho de 2010

Estava guardado.

" Viva seus sonhos,viva-os bem,dedique-lhes altares,celebre seus mistérios.

Não é a perfeição,mas já é um caminho.

Não há nenhum sonho perdurável.Uns substituem os outros e não devemos esforçar-nos
por não nos prender a nenhum.

Ninguém pode escolher a onda a que obedecerá,nem o polo pelo qual será atraído.

Seu destino o ama.

Algum dia lhe pertencerá por completo,como você sonha,se continuar sendo-lhe fiel."

Hermann Hess.

Escrito em 1968,por um antigo namorado...estava guardado,em envelope lacrado,dentro de um livro...só encontrei hoje (08.06.2010),não consigo entender como ficou guardado tanto tempo.

Estava olhando o envelope desde o início da tarde,quando encontrei...só agora,bem tarde,e com um empurrãozinho de dois cupidos,tomei coragem e abri o envelope.

Está escrito em papel de seda cor de rosa...os vincos,formados com o tempo,quase separam a folha em quatro.

Como os meus cupidos (Lucilene e Leandro ) acharam que a história toda,mais parecia um filme,eu me lembrei de Em Algum Lugar do Passado,também não sei porque...

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Cheiro de naftalina.

Atualmente,quase ninguém mais usa naftalina,ou seja naftaleno,um hidrocarboneto aromático,fórmula molecular C10H8 ( copiei no Google ).

Mas,voltando a vaca fria,naftalina era usada como fungicida,principalmente entre as peças de enxoval guardadas no baú ou no fundo de guarda roupa.Consequentemente,as roupas que ficassem durante muito tempo guardadas,ficavam livres das mordidas de traças,mas adquiriam o cheiro da BENDITA NAFTALINA.

Quando alguém usava uma roupa que estava guardada nessas condições,era logo denunciado pelo cheirinho...não adiantava colocar água de colônia,pois só piorava a situação.

No geral,ninguém se importava muito com o cheiro,mas não sei porque,ele sempre estava associado à velharia,museu,coisas desse tipo.

Ora,porque estou contando essa história toda...bem,porque hoje eu devia estar exalando naftalina e só me dei conta disso,quando uma senhorinha,bem velhinha,toda enrrugadinha,cabelo todo branquinho...levantou-se do banco,no ônibus que eu acabara de tomar,e toda trêmula,pegou no meu braço e com muita ternura murmurou: senta aqui querida,senta.

Eu,agradeci o gesto feito com tanto esforço para me amparar mas falei que não era necessário,que ela deveria continuar sentada,que eu estava bem em pé.

Logo cheguei ao meu destino,desci do ônibus,fiquei por alguns instantes pensando na atitude da querida senhorinha.Andei mais um pouco e parei na frente de uma vitrine onde pude olhar a minha imagem refletida no espelho...tá certo,concordo,já não sou nem a sombra da imagem que era quando mais jovem.
O tempo é implacável,corre mesmo,e corre cada vez mais rápido...tão rápido,que o meu recheio não se deu conta que a minha embalagem já está com prazo de validade vencido.

Embora eu me sinta com 20 e tantos,não dá pra vender a mesma idéia,principalmente para alguém,que como eu,ainda deve estar se sentindo com 18.

Mas no fundo mesmo,eu acho que a culpada foi a naftalina, que me entregou com seu cheiro desgraçado.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Receita Árabe/Judaica

Tá difícil falar qualquer coisa sobre o mundo árabe hoje...
então,vou preparar um tabule.



Na culinária fica fácil,juntar os dois...e fica muito bom.